gif one.png

“Mãe - Uma Lei para Inglês Ver.”

Tem como tema os Escravos e africanos “livres” na Fábrica de Ferro São João de Ipanema em Sorocaba. A definição de “Africano livre” no século XIX foi estabelecida a partir da Lei de 7 de novembro de 1831, que estabeleceu que todos os escravos introduzidos no Brasil ou em seus portos, quando originários de fora do país, ficariam livres. Na realidade, essa lei não chegou a ser cumprida em suas disposições mais importantes, como aconteceu com a maior parte da legislação antiescravista do período. O que a fez ficar conhecida como “Lei Para Inglês Ver.” Já que a solução encontrada foi que, ao serem apreendidos, os africanos nessas condições deveriam ficar aos cuidados do governo brasileiro, sendo tratados, mas prestando serviços nas companhias pertencentes ao Estado ou sob os cuidados de arrematantes particulares e idôneos, aos quais deveriam servir por 14 anos e depois seriam libertados. Como era de se esperar, tal expediente nunca acontecia. E este também é um outro aspecto pouco contado pela historiografia brasileira. A peça foi concebida como um melodrama e com inspiração no texto “Mãe” de José de Alencar.


FICHA TÉCNICA:


Elenco/Atores:

- Danilo Panayotou
- Tiske Reis
- Rai Queiroz
- Jean Felipe
- Linda Durães
- Rafael Milbio
- Marcio Roberto da Silva
- Marcos Sanson
- Matilde Santos
- Jefferson Pereira
- Nivaldo Martins Ferreira


Texto e Direção:

- Mario Persico

Realização:

Teatro Escola Mario Persico, PROAC, Secretaria da Cultura e Economia Criativa, São Paulo Governo do Estado.